Latest Ramblings

OS FOGOS OS BOMBEIROS E AS POPULAÇÕES

November 12th, 2017 | Comments Off on OS FOGOS OS BOMBEIROS E AS POPULAÇÕES

Os dias 15 e 16 de Outubro deste ano, dificilmente ficarão esquecidos na memória dos vilanovenses e de todos os habitantes da zona centro do nosso país. Os concelhos de Gouveia, Seia e Oliveira do Hospital, por se situarem mais perto de nós e terem sido dos mais atingidos nestes dias catastróficos de fogos, tocaram mais fundo a mente e o coração de todos nós.

As condições meteorológicas adversas desses dias, tal que os ventos do furacão vindos do mar Atlântico, e certamente também alguma maldade humana, descoordenação e falta de meios da Proteção Civil e falta de limpeza em muitas matas, tornaram-se condições vitais para a catástrofe que nos atingiu.

No que à nossa terra diz respeito, ela passou por poucos prejuízos e sem vítimas humanas a lamentar muito por mérito dos nossos Bombeiros que foram incansáveis não só na defesa das vidas e bens dos vilanovenses, como estenderam a sua acção a todas as terras vizinhas, já que as doze viaturas de fogo estiveram em uso permanente no combate aos inúmeros incêndios que rodeavam a nossa terra, tal que no salvamento  e evacuação de diversas pessoas em perigo.

Se aos bombeiros se deve o maior empenho no combate aos incêndios, a ajuda e o igual empenho de muitos vilanovenses com destaque para as equipas de trabalho dos nossos construtores civis, que de forma solidária as deslocaram para coadjuvar o trabalho dos nossos bombeiros, foram duma mais valia extraordinária.

A ajuda muito humana e solidária de algumas famílias, que receberam em suas casas pessoas deslocadas de outras terras vizinhas, a quem o fogo consumiu as suas habitações, é outro pormenor que deve ser enaltecido e que demonstra que em Vila Nova a solidariedade, continua a fazer parte da forma de ser e de estar das nossas gentes.

Também o velho provérbio que diz que “a união faz a força”, continua a ter valor na nossa terra, já que sem “comandos de proteção civil” mas contando apenas com os nossos bombeiros e as nossas gentes, elas foram gigantes na defesa das pessoas e do seu património.

Fomos testemunha de elogios públicos ao trabalho dos nossos soldados da paz, sabiamente comandados pelo seu comandante Guilherme Mota. Quando quem comanda sabe o que faz e tem a confiança dos seus subordinados e dos populares que a ele se aliam, os resultados serão sempre positivos, embora nem sempre os desejados. No entanto quando humanamente se faz o que se deve, e por vezes se excede o que as forças físicas permitem como foi o caso para a maioria dos nossos bombeiros e de muitos populares, só lhes podemos manifestar os nossos agradecimentos e o respeito pela Causa que os anima.

Que este exemplo de servir não seja esquecido, e que dentro do possível quem nos ler e todos os amigos dos bombeiros, ajudem estes homens e a causa que os faz viver, que se enquadra no espírito solidário de Vida por Vida.

José Baptista da Silva

Nov.2017

PROBLEMAS DA VELHICE

November 12th, 2017 | Comments Off on PROBLEMAS DA VELHICE

Uma pessoa de certa idade ē portadora de um acréscimo imenso de experiências. Se a mente não foi educada positivamente, os depósitos  conscientes e subconscientes formarão uma carga pesada e prejudicial.

A soma de fracassos, desilusões, ideais abandonados na poeira do tempo, sofrimentos e frustrações no amor, finanças em níveis alarmantes, desconsideração das pessoas aliadas ao peso do corpo combalido, fazem muita gente pensar na velhice como uma desgraça necessária.

Você é o que for hoje. S.Jerónimo um grande doutor da Igreja do século V dizia “Comece a ser agora o que será daqui por diante”. Qualquer que seja a sua idade, lembre-se que cada minuto é um milagre fantástico que merece ser vivido condignamente. Deixe o passado negativo para trás, porque se ficar sentado á beira do caminho, a chorar o leite derramado, não aproveitará o que ficou na  caneca. A idade fez de si uma pessoa lúcida. A vida ensinou-lhe muito, porque ela é a melhor escola. Aproveite o que aprendeu de bom pois é muito mais do que sabem os jovens e comece a viver o melhor da sua vida. Não cultive a solidão e viva bem consigo mesmo, pois está a viver no melhor dos mundos. O indivíduo que sofre de solidão é o que não gosta de si, e por isso é infeliz. A convivência com amigos e familiares especialmente os netos faz um  bem imenso ao idoso, tal que viajar, ou ter em casa um animal de estimação.

Mesmo que viva só, nunca cultive a ideia de que está abandonado pelos seus familiares, porque só existe abandono quando nós nos abandonamos a nós próprios. Você tem identidade própria, é dono dos seus pensamentos e da sua vontade, por isso viva a vida em plenitude sem pensar em nenhum grau de dependência.

Não cultive sentimentos negativos que o podem levar a pensar estar a ficar decadente. O desânimo acaba por nos combalir as forças físicas. Se o nosso cérebro e a nossa mente se mantiverem positivamente activos, continuam a responder plenamente ás nossas necessidades e aos nossos desafios. Medite, leia, passeie, ande a pé, conviva e interpele as pessoas que conhece e se vão cruzando no seu caminho.

Não cultive também a ideia de que não tem nada que fazer. Então as experiências da vida activa não lhe ensinaram nada? Quem durante a vida teve um trabalho criativo, não quererá refazê-lo agora devagar e sem pressa, mas duma forma artística? Será que quando trabalhava exaustivamente e com pressa para cumprir compromissos, em algumas situações não ficou com pena de elaborar melhor a obra que saia das suas mãos? Agora que tem tempo recrie o que outrora gostaria de ter feito melhor e pode refazer tudo agora. Lembre-se que nenhuma estrela do céu por mais antiga que seja deixa de brilhar. E você porque razão se há-de querer apagar?

Nesta idade o luto por vezes deixa-nos tristes e em sofrimento pela perda da nossa mulher ou do nosso marido. É normal que durante algum tempo esses sentimentos de vazio nos façam sofrer. Mas também aqui temos de conseguir forças para ultrapassar a perda. Quem partiu, já não vai poder voltar, e quem fica tem que viver. Quanto mais nos deixarmos abater pelo sofrimento, mais enfraquecemos as nossas defesas imunológicas que nos ajudam a resistir as doenças e aos vírus.

Em resumo: nunca deixe de gostar de si, porque senão, não conseguirá gostar de ninguém. Ame a vida e tudo o que ela contém de bom. Seja alegre, sorria, porque com a sua alegria prolonga a vida e retira tristeza aos que o rodeiam. Se for crente reze, ajude com conselhos da sua sábia experiência aqueles que reconhece precisarem deles. Seja positivo, tenha um coração sensível e viva feliz.

Resumo sobre o tema em título retirado do livro ” Cure-se – Você é o seu próprio remédio” Lauro Trevisan

José Baptista da Silva

Nov2017

PRÉMIO DE MÉRITO JOÃO DE DEUS 2017 (PADRE JOÃO)

November 1st, 2017 | Comments Off on PRÉMIO DE MÉRITO JOÃO DE DEUS 2017 (PADRE JOÃO)

Na passagem do trigésimo aniversário da morte do “Padre João”, procedeu-se no passado dia 28 de Outubro na Escola de Vila Nova, a mais uma atribuição do prémio de mérito criado em sua honra  para premiar os melhores alunos de português daquela escola.

Este ano a cerimónia teve a particularidade do prémio contemplar também um aluno de ciências, e o alargamento a esta área do saber  passará a fazer igualmente parte dos prémios a atribuir nos anos futuros.

A sessão iniciou-se com o descerramento duma lápide alusiva ao “Padre João”, localizada no interior da escola e em local aberto ao público. Paralelamente foram igualmente afixados em molduras os nomes dos alunos ganhadores dos anos anteriores, para que sirvam de estímulo e  exemplo a todos os outros alunos.

A cerimónia englobou na homenagem outra figura grada de vila nova, na pessoa do Eng.º Fernando Henrique Marques Videira. Com efeito este vilanovense de eleição que dedicou a sua vida á ciência e ao serviço do país, merecia esta homenagem, pelos méritos atingidos na sua vida profissional, e igualmente pelo seu exemplo de vida como pessoa de sãos princípios, que apesar de ter calcorreado os patamares do poder, quer como homem de ciência na Junta de Energia Nuclear, onde foi pioneiro e atingiu os mais elevados cargos, quer enquanto político independente nas Secretarias de Estado da Indústria, de Energia e Minas, quer como ministro da Indústria no governo da Eng.ª Maria de Lurdes Pintassilgo, quer ainda como gestor público na Siderurgia Nacional, EDP e outras grandes empresas públicas. No desempenho de todas estas funções o Eng.º Fernando Videira, foi exemplo de profissional dedicado ao serviço público, e cujos méritos lhe viriam a ser reconhecidos publicamente com a outorga de Comendas, por vários presidentes da República.

Apesar do sucesso e reconhecimento profissional, soube cultivar a ética no relacionamento com os demais, abdicando das luzes da ribalta, para se manter um homem discreto, generoso, amigo do seu amigo.

Em Vila Nova, ainda desempenhou funções na Adega Cooperativa, e seguiu atentamente os problemas da terra, da qual apesar das suas múltiplas actividades nunca esqueceu, honrando assim as tradições da sua benemérita família.

Foram editadas duas brochuras, do “Padre João” e do Eng.º Fernando Videira, que foram distribuídas por todos os presentes, relatando factos da vida dos dois homenageados para que elas fiquem mais conhecidas e sirvam de exemplo a todos os que nelas se queiram rever.

A atribuição deste prémio tem o propósito de dar algum relevo á nossa escola, incentivar os alunos no estudo capaz de conduzir ao mérito e homenagearpessoas que pelo seu exemplo de vida e de dedicação a Vila Nova, possam influenciar outros a segui-los, para que assim não os esqueçamos e através deles dignifiquemos a nossa terra.

No final houve o habitual lanche convívio entre todos, como sempre patrocinado pela Associação de Pais, sempre disponível para ajudar e que pela sua disponibilidade permanente, tem sido a grande mais valia para o bom êxito desta iniciativa.

José Baptista da Silva

Out/17

 

ESTATÍSTICAS E PODER AUTÁRQUICO

September 29th, 2017 | Comments Off on ESTATÍSTICAS E PODER AUTÁRQUICO

Em Abril de 2014, coloquei neste blog uma notícia do Expresso de 8 de Março, onde dizia ser a zona da Serra da Estrela, a mais pobre da União Europeia.
Fiquei triste e preocupado ao mesmo tempo, porque nesta zona estavam incluídos os concelhos de Fornos, Seia e Gouveia, e portanto a nossa Vila Nova.
Todos sabemos que a nossa terra foi sempre uma terra essencialmente agrícola, que tem o vinho como referência. As indústrias nunca tiveram uma tradição considerável, e os vilanovenses desde sempre sentiram a necessidade de emigrar, para as grandes cidades e para o exterior, mas vermo-nos assim na cauda da União Europeia, causou e causa um enorme desconforto, já que potenciais investidores não a acharão atrativa para investir o seu dinheiro.
Estamos em tempo de eleições autárquicas, que são na minha opinião as mais importantes para a nossa terra, já que os eleitos sendo filhos da terra, conhecem os verdadeiros problemas que nos afetam, daí que mais que disputas partidárias se deverá olhar para o que de melhor cada um pode fazer por ela e unir os esforços para o conseguir.
Voltando ao tema de 2014, e mesmo sob pena de me repetir, voltava a apelar aos diversos poderes autárquicos, especialmente Câmara e Junta de Freguesia, para que estudem a nível concelhio e de freguesia, as potencialidades económicas e sócio-culturais de cada uma e procurem apresentar, ou somente alvitrar potenciais negócios que sejam viáveis, e para eles encontrem formas desburocratizadas de implementação, baixando inclusive taxas e impostos iniciais, alguma orientação técnica dos diversos serviços, para por exemplo aceder a fundos estruturais, nacionais ou comunitários. Criadas as empresas e apoiadas no seu início, com objectivos mais ou menos definidos terão condições para se afirmar, criar empregos e pagar impostos. Se nada se fizer, e os técnicos ficarem pelos gabinetes tranquilamente instalados, porque o seu patrão não pode falir, então nada acontecerá e as estatísticas comunitárias, continuarão a falar de nós como os párias da Europa.
Se nada quiserem fazer, valham-se ao menos da condição de párias para pedir ao governo e á Comunidade Europeia, ajudas de emergência para nos tirar desse vergonhoso lugar em que estatisticamente nos colocaram. No entanto, estou convicto que um plano integrado do concelho, ou ainda melhor da região serrana, potenciando as suas capacidades intrínsecas (Queijo, Agro-Pastorícia, Vinho, Frutos Secos, Turismo, Desportos radicais e outros mais), poderiam vir a ser apoiados, baseados na real condição da sua declarada pobreza estatística e real em muitas situações.
Será utópico? Talvez, mas sem tentar fazer alguma coisa de diferente, não conseguiremos saber, e acreditem que quando se mexe em alguma coisa em profundidade, pode não se atingir tudo ou mesmo nada do que se pensou, mas alguma ficará, e quem sabe da pesquisa e do estudo efectuado não surgirão coisas novas que ninguém tinha pensado, e quando descobertas trarão empresas e projectos viáveis que fixem gente nova e preparada para os prosseguir com sucesso.
Sei que os poderes políticos se protegem e não gostam de correr riscos, pois a inovação e a modernidade, são de implementação lenta e nem sempre têm sucesso, mas com a limitação dos mandatos, os autarcas não podem ficar sempre no poder, daí os aconselhar a serem criativos e recordados pelas suas obras, essas sim de perenidade terrena, e para isso é preciso pensá-las e colocá-las em prática.
Arregacem as mangas, unam-se, trabalhem com modelos de gestão privada já que tem acessores, técnicos qualificados em quase todas as áreas, e todos eles (Vós) não nasceram políticos, portanto usem as vestes, mas trabalhem como se empresas fossem e tivessem que as tornar rentáveis para assegurarem os vossos postos de trabalho e das equipas que convosco trabalham.
Se assim vier a ser, não só vos sentireis de bem com a vossa consciência, como sereis recordados como pessoas que colocaram o bem comum em primeiro lugar.

Boas escolhas e votem todos.

Setembro 2017

José Baptista da Silva

ACONTECIMENTO SOCIAIS

May 15th, 2017 | Comments Off on ACONTECIMENTO SOCIAIS

Quiz a Junta de Freguesia de Vila Nova em exercício, comemorar o 25 de Abril deste ano homenageando os antigos autarcas locais eleitos após esta data, isto é, anteriores presidentes de Junta e Assembleia de Freguesia do pós 25 de Abril anteriores aos actuais. A cerimónia decorreu nas instalações do Centro Cultural, com intervenções alusivas ao acto por parte do actual presidente de Junta vilanovense Arq. Marco Martins, e dos actuais presidentes da Assembleia e da Câmara Municipal de Gouveia, respectivamente.

O reconhecimento individual, público ou colectivo, por alguém que o merece, é sempre de louvar e de enaltecer. Quando o mesmo se deve a actos ou trabalhos efectuados em prol da comunidade, ainda é mais merecido, daí ter estado bem a Junta de Freguesia de Vila Nova ao lembrar os seus antecessores, pelos trabalhos feitos em favor da sua terra e das suas gentes.
Após o acto, foi servido um lanche, que ajudou a prolongar o convívio, e a troca de ideias entre os presentes, que por vezes podem ser sementes a aproveitar para pensar projectos novos que sirvam a comunidade.
Esta cerimónia foi antecedida, pela inauguração das novas e bem concebidas instalações sanitárias públicas, construídas na nossa Avenida, a expensas camarárias, e que pela estética e pela qualidade honram e dignificam o local, além de satisfazerem plenamente todos os que delas vierem a necessitar. Oxalá que todos as saibam preservar e deixem limpas quando deles se servirem

Igualmente no dia 1 de Maio, e como já é tradição, o Grupo de Cultura e Desporto vilanovense, comemorou o dia do trabalhador, com a celebração duma caminhada , passeata de bicicletas, jogos tradicionais como o da malha, tudo isto acompanhado por um serviço de bar, culminado com a feijoada do final da tarde na nossa bela avenida.
Foi um dia bem passado e diferente, onde a par do convívio entre os presentes, se celebrou a data comemorativa da luta por mais e maior justiça social no mundo do trabalho, que deveria ser alargada aos diferentes estádios da vida social, para que assim o homem e a sociedade vivam e tenham acesso ao direito duma vida melhor.

Maio 2017

José Baptista da Silva

PENSAMENTOS PEDAGÓGICOS, ÉTICOS E FORMATIVOS

February 28th, 2017 | Comments Off on PENSAMENTOS PEDAGÓGICOS, ÉTICOS E FORMATIVOS

Foi-me oferecido um pequeno livro, onde encontrei muitos trechos interessantes de que muito gostei. Destes, dispus-me a resumir alguns e publicá-los no nosso “site”,convicto de que a maioria dos que os lerem encontrarão neles motivos para reflexão. Assim paulatinamente os iremos colocando á vossa apreciação começando hoje pelos seguintes:

1) – Seja optimista. Encare todos os problemas da vida como uma prova de avaliação para os superar e vencer. Tudo passa, as alegrias, as tristezas e as dificuldades por maiores que elas sejam, e tudo se pode superar, desde que as pessoas acreditem em si, e se disponham a lutar.

2) – Não esqueça aqueles que sofrem dificuldades e que por vezes vivem a seu lado. Crianças, velhos e doentes, precisam por vezes de ajuda, não só material, mas especialmente de carinho e atenção.

3) – Cada um colherá aquilo que semeou. Ninguém que semeou o Bem, poderá colher o mal, tal como duma árvore boa não virão maus frutos. Assim se a sua vida se pauta pela prática do Bem e da Justiça, será exemplo dentro e fora da sua casa.

4) – Vencem na vida os que a encaram com optimismo. Vencem sempre aqueles que por mais que custe lutar não perdem o sentido de atingir os seus objectivos. De degrau em degrau e com muita preserverança chegará ao cimo da escada. ( Se tiver fé talvez seja mais fácil ).

5) – A melhor maneira de viver é não perder a Esperança. Ela é o único direito que cada um tem de conseguir atingir os seus fins. Só espera quem acredita. Se acredita em si e nas suas capacidades, concerteza que os resultados vão chegar. Pode não ser no tempo e com a pressa que deseja, mas se for preserverante a vitória é certa.

6) – Não dê muita importância aos anos de vida que já tem. Dê sim muita importância á idade que imana do seu interior e irradia da sua fisionomia. Há muitos jovens envelhecidos pelo sistema de vida que levam. Há outros que apesar da muita idade transmitem uma aparência tão jovial, que chama a atenção de todos. Alimente bem o seu corpo, especialmente de bons sentimentos e muita paz de espírito. Ao fazê-lo estará a conservar a juventude exterior, que não morre no seu interior.

7) – Quando se sentir sozinho, com a tristeza a tomar conta de si, como uma nuvem negra que escurece a sua alma, não se entregue ao desânimo que o abate. Tome esse estado passageiro, como um aviso. Pertinho de si, deve estar alguém, doente, ou a precisar duma palavra amiga. É uma oportunidade de saír da sua tristeza e ir ajudar alguém, que terá razões para estar triste, e que com a sua visita se sentirá melhor.

8) – Seja sempre humilde. A humildade, pode não ser a maior virtude, mas é a mais bonita de todas, porque da pessoa humilde todos gostam, ao contrário do orgulhoso que não consegue ter amigos de verdade. Ser humilde é ter muito, como se não tivesse nada. É resguardar-se deixando os elogios para os outros. É fazer o bem como que isso seja um dever a cumprir.
9) – O nosso comodismo pode afasta-nos de sermos solidários. Muitas vezes temos a possibilidade de ajudar e até sentimos em nós essa vontade. Mas ficamos parados, indecisos, acomodados. Experimente vencer isso, e irá encontrar na ajuda fraterna, sentimentos de paz, alegria e bem-estar interior. Uma palavra, um sorriso, um conselho, são por vezes tão fáceis de dar, e deixam bem melhor aqueles que os recebem.

10) – Não seja avarento em relação aos talentos com que Deus e a Natureza o dotaram. Olhe e veja quantos os não receberam; os cegos, surdos e mudos, os paralíticos, ou os que não foram dotados das capacidades com que você foi previligiado. Dê por isso um pouco do que tem de melhor em si, àqueles que foram menos contemplados pelos factores da vida.

11) – Tome cuidado para não ser tentado a ser juiz dos outros, porque a vida deles só a eles pertence, e por ela somente eles terão que responder.A vida alheia não está sujeita ao seu julgamento. Os erros dos seus semelhantes pesarão apenas sobre eles. Não se intrometa na vida dos outros, como não admita que se intrometam na sua.

12) – Ame e faça bem o seu trabalho, porque é muito desagradável trabalhar somente pela obrigação de o fazer. O ser humano, não é um animal, que puxa a carga e vai para onde o levam. Faça o seu trabalho com amor e será criativo, e fará crescer a sua dignidade. Construa o mundo no qual habita com a inteligência e o coração.

13) – Aprenda a compreender o seu semelhante, pois é um erro querer-se a igualdade humana. Nunca a houve, nem irá haver. Não deve exigir dos outros que pensem e actuem como você. O exemplo vem da nossa própria família, pois apesar dos filhos terem nascido do mesmo ventre materno, nenhum é igual em fisionomia, temperamento e personalidade, e a mãe tem de saber compreendê-los tal qual eles são. Ela até gostaria que todos correspondessem e agissem como ela quereria, mas aceita-os tal qual eles são. Ora se assim é dentro da nossa casa, como poderemos exigir aos outros que ajam e se comportem como seria nosso desejo?

14) – Aprenda a conviver. É mais difícil viver em companhia do que sozinho, pois se viver só, age consoante a sua vontade, sem ter que dar contas a ninguém. Quando se tem uma parceira/parceiro, é necessário ter espírito de compreensão e de amor, para tornar possível a boa harmonia no lar.

15) – Seja implacável com o erro, para que se por hábito de com ele ser tolerante poder por ele ser contagiado. Deve no entanto ter uma atitude de caridade e paciência para com os que erram. O seu exemplo poderá levá-los ao bom caminho.

16) – Evite a arrogância e a prepotência, porque o que torna uma pessoa importante, não é o dinheiro, a posição que ocupa na sociedade, nem mesmo a autoridade que possa exercer. O que torna a pessoa importante, querida e respeitada, é a sua simplicidade e educação no falar e no agir. São os que pedem por favor e dizem obrigado.
17) – Devemos agradecer àquele que de forma educada nos aponta algum defeito. Ele viu-o e teve a franqueza de nos advertir a fim de o podermos corrigir. Ao agir desta forma acaba por nos fazer um favor. Outros poderiam aproveitar-se disso para nos humilhar. Aprendamos a receber com humildade os reparos justos que nos possam fazer.
18) – Aproveite os momentos de silêncio, para valorar a sua paz interior. Evite o barulho, o ruído, aqueles que tudo criticam. Reflita positivamente quando estiver só. Leia, ouça música, pense nas coisas boas da vida e nos momentos felizes que ela lhe trouxe. Ao fazer isto mesmo estando só, encontrará paz e bem estar interior, que lhe dará imensa felicidade.

19) – Todas as coisas boas da vida, nascem em ambientes onde exista serenidade e harmonia. Nada virá de bom que tenha origem na discórdia ou no ódio. Dos corações que convivem com o amor e a harmonia, só se pode esperar, a ordem, a paz e a felicidade. (experimente)

20) – Nada há de mais terrível que, a malediçência, a calúnia, a infâmia. Mesmo aqueles que de coração generoso conseguem perdoar, ficam feridos e comprometidos por ela. A sujidade e imundice exteriores, lavam-se com a água e desaparecem. Porém a infâmia que atinge a honra, cai dentro da alma, e essa provavelmente só Deus poderá perdoar.

21) – Conserve a sua serenidade, pois ela é a melhor prova de que o seu espírito é forte e equilibrado. Os afazeres do dia a dia não a devem perturbar, já que nem você nem ninguém conseguirá trabalhar bem no barulho e agitação exterior. Não se apresse a fazer as coisas, porque a pressa é inimiga da perfeição. O que tiver que fazer, faça-o com a serenidade de quem o faz por amor.

22) – Não queira ou sequer admita, vir a ser pior do que os outros, porque a vocação do ser humano, é o bem e não o mal. Temos que nos esforçar cada dia a sermos melhores. No entanto isso não nos deve levar a pensar que somos melhores do que os outros. Evite juízos de valor sobre si. Deixe que seja o seu exemplo a responder pelos seus actos.

23) – As leis humanas, são como as teias de aranha, porque só os pequenos insectos nelas ficam presos. Os grandes rompem-nas sem grandes custos. Esta é uma triste verdade da justiça humana, que assim se torna em injustiça. Mesmo assim, procuremos ser justos nas coisas e nos juízos que fizermos, pois isso fará com que os conceitos de justiça e o mundo se tornem melhores.

24) – Faça tudo para ser sincero. Ninguém lhe pode exigir a perfeição, porque ninguém a tem. Devemos saber enfrentar com coragem e dignidade as nossas quedas e os nossos erros. Essa postura de humildade ajudará á sua correção. Lembre-se que atrás de cada desculpa, quase sempre está uma mentira.

25) – Devemos ser honestos em nossos actos e pensamentos, porque assim aprendemos a melhor aceitar os outros como seguidores dos mesmos valores. Quando desconfiamos dos outros, podemos estar a esquecer-nos de nós mesmos. Se admitimos que somos honestos, devemos ter a mesma convicção para com os outros. ( No entanto não sejamos ingénuos )
26) – Ninguém tem o direito de enganar ninguém. Porque enganar é iludir e mentir, e também não se deve mentir. Mas, em rigor os homens podem ser enganados. Somente a consciência não engana, nem pode ser enganada, porque ela é como uma bússola colocada no mais profundo do nosso ser, para nos conduzir pelos caminhos da justiça, do bem e da verdade.
27) – Não seja mandrião, porque Deus deu-lhe a vida para se movimentar, trabalhar e ganhar com o suor, o pão para alimentar o corpo. Aquele que fica ocioso a ver passar o tempo, é como se estivesse a morrer antes do tempo. A vida é um caminho, que para os crentes deve ter um fim em Deus. Até lá como dizia S. Bento ” ore et labore ” isto é reze e trabalhe.

28) – Aquilo que mais dignifica o homem é o trabalho, porque é ele que o eleva perante si mesmo, a sociedade, e para os que crêem, aos olhos de Deus. A grande corrida da vida humana deveria ser a de quem chegasse primeiro no amor seguido na dedicação ao trabalho.

29) – Tudo o que é falso morre sem criar raízes, porque somente a verdade tem profundidade, germina, frutifica e cria substância. Os erros fazem o mal, mas não duram sempre e desaparecem, já que a verdade é eterna e esta não pode passar.

30) – Aprenda a receber as adversidades da vida como desafios á sua própria necessidade de viver e vencer. O que é conquistado com esforço e espírito de sacrifício tem mais valia, do que aquele a quem tudo foi dado sem que da sua parte nada tenha feito para o conseguir. O primeiro pode recordar as pequenas vitórias, até ao sucesso, o segundo, nada tem para recordar, porque nada fez para o atingir.

31) – Diz-se que é feliz aquele que tem o dom de transformar o pouco em muito. O que sabe dar valor quase infinito, a um simples sorriso de bondade dirigido a um “irmão”. O que consegue cada dia agradecer a Deus o dom da vida.

32) – Atraia felicidade para si, juntando a sua alegria á dos que vivendo å sua volta irradiam felicidade. Congratule-se com eles e deseje-lhes os maiores êxitos nos seus sonhos e projectos. Se tiver que dar a sua ajuda para que o seu amigo seja feliz, não lha recuse, pois com esse gesto atrairá também alegria e felicidade sobre si mesmo.

33) – Já pensou na força e no poder duma lágrima? Se genuína, ela é uma demonstração externa, dos sentimentos que estão dentro de si. Ela pode ser o retrato molhado do sofrimento, como a doce resposta do amor e da felicidade. A sua lágrima é a prova mais eloquente da sua sinceridade.

34) – Não se assuma como dono da verdade. Não desista daquilo que a sua inteligência aprendeu como verdadeiro, a não ser no dia em que se convencer de que isso não é a verdade. Respeite as opiniões dos outros, se eles as entendem para si como verdadeiras. Ninguém é dono da verdade ao ponto de a querer impor aos outros. A Verdade é Universal, mas nos aspectos subjectivos da inteligência, cada um a vê a seu modo. Defenda por isso a que conhece, e respeite a que o outro professa.

35) – Não esqueça os dons que Deus lhe deu e a Natureza, materializou. Pés para andar, mãos para trabalhar, língua e voz para falar, olhos para ver, ouvidos para ouvir, inteligência para pensar, e coração para sentir e amar. Tudo isso por vezes nos pode ser pedido emprestado, para ir de encontro a quem precisa deles . Não dispense a oportunidade, pois assim demonstra a Quem lhos deu, a utilidade de os ter recebido.

36) – A prática do Bem não está sujeita aos impulsos naturais da nossa simpatia, ou da amizade pessoal. Esse mérito estará antes no facto desse Bem, ser praticado na pessoa dum semelhante, por vezes desconhecido, que se cruza no nosso caminho. Ficará bem representado aqui aquele velho provérbio que diz “faz bem sem olhar a quem”
37) – O ser humano é um capítulo especial na obra da Criação. É um pensamento de amor que retrata a imagem e semelhança do seu Criador. Se por um lado é um privilégio, por outro é também uma grande responsabilidade, a de ter que guardar e demonstrar a imagem que Ele colocou dentro de nós e que será a da bondade do seu coração .

37) – Quando numa casa, todos riem, confraternizam e são felizes, aí deve morar uma mulher esquecida de si mesma. Essa mulher que se esquece de si, para não esquecer os que dela dependem, só pode ser uma Mãe.

38) – Pense em si, mas pense também nos outros, naqueles que precisam de si. A melhor recompensa para o seu coração, é a que vem da prática duma boa acção.

39) – Faça de cada dificuldade por que esteja a passar, um caminho para se tornar melhor. A vida vale pelos esforços que cada um faz no sentido de a dignificar. Valorize-se sempre com o seu trabalho, para que dele resulte maior grandeza moral e espiritual. Descubra-se na sua capacidade de vencer os obstáculos que surgem no seu caminho.

40) – A vida traz-nos felicidade e sofrimento, pelo que quando este nos visita porque perdemos a saúde, não entremos em desespero. Sejamos fortes de espírito, procuremos a ajuda junto dos profissionais da saúde, e se formos crentes, também através da oração e da devoção a um santo de Deus. Essa crença pode dar-nos força e ânimo para os problemas vencer. Nunca devemos perder a esperança.

41) – Quando o sofrimento ou a doença nos bate á porta, somos muitas vezes levados a pensar que isso é um castigo de Deus, quase uma vingança pelo nosso comportamento. Isso entraria em contradição com as suas palavras, quando disse “vinde a mim todos os que estais sobrecarregados e Eu vos aliviarei”. Portanto Deus ama, ajuda e não castiga.

42) – Seja alegre e espalhe alegria onde estiver, porque o mundo dos homens está precisando da sua alegria. O semblante das pessoas anda carregado, triste e sem esperança, devido aos problemas da vida. Todos os temos, mas quando se tem consciência deles, há que ter força para os encarar e vencer. E nada melhor do que a alegria contagiante dum amigo para o conseguir.

43) – Pratique sempre o Bem onde quer que esteja. Faça isso com prazer de tal forma que isso fique como um exemplo, como uma marca pessoal, que possa ser seguida pelos que consigo convivem, e assim imitem a sua forma de estar e viver.

44) – Quando estivermos investidos de autoridade, saibamos exercê-la como um serviço á comunidade, e não como um privilégio recebido que apenas sirva para alimentar a nossa vaidade. A autoridade deve ser encarada como uma missão ao serviço do bem comum.

45) – Quem trabalha deve habituar- se a encarar e resolver as dificuldades da vida, como sendo algo natural que acontece e é relativo á nossa vivência neste mundo. Conhecem alguém que não tenha tido dificuldades ao longo da vida? Um trabalhador humilde, ou um cientista, são ambos construtores do mundo, e na sua caminhada não faltarão dificuldades a vencer. Há que as encarar com serenidade, procurar-lhe as causas, e depois resolver, sozinho ou com a ajuda de profissionais e amigos.

46) – Não se deixe escravizar pelos bens terrenos, porque são passageiros e ficam cá. Valha mais pelo que você é, do que por aquilo que você possui. O que conta é o seu património espiritual, porque o material não o acompanha com a sua morte.

47) – Quando nos encontramos numa situação intermédia de mandar, mas também obedecer, devemos procurar ser justos nas nossas decisões e para isso nada melhor do que colocar-se na posição do seu subalterno, que tem que lhe obedecer a si. Se o conseguir, certamente que saberá acatar as ordens superiores, mas também ser justo com os que lhe estão subordinados

48) – Todos os que procuram viver em rectidão de princípios, terão em S.Francisco de Assis um modelo, e como ele pedir ao Criador: “Senhor, fazei-me instrumento da vossa paz. Onde houver ódio que eu leve a amor!; onde houver ofensa, perdão; onde houver discórdia união; onde existir erro, verdade; onde houver dúvida, fé; onde houver tristeza alegria, porque é dando que se recebe”.

49) – A dignidade da pessoa humana está em sabermos enfrentar directamente e com verdade qualquer situação que se nos apresente. Não nos devemos refugiar nos “ses”. A dignidade humana passa sempre pelo nosso comprometimento sincero e verdadeiro connosco e com os outros.

50) – Não há na Terra, nenhuma pessoa completamente livre. Por mais sábio, mais importante e poderoso que seja, que não tenha um dever a cumprir e responder perante alguém. É que o homem está na terra como um peregrino e com uma missão a cumprir, da qual terá que prestar contas à quem o enviou. Todos viemos, mas nenhum fica, porque estamos comprometidos com uma vida eterna.

PROBLEMAS DA VELHICE

PRÉMIO DE MÉRITO JOÃO DE DEUS 2017 (PADRE JOÃO)

ESTATÍSTICAS E PODER AUTÁRQUICO

ACONTECIMENTO SOCIAIS

PENSAMENTOS PEDAGÓGICOS, ÉTICOS E FORMATIVOS

OS FOGOS OS BOMBEIROS E AS POPULAÇÕES

O Verão Vilanovense

A PÁSCOA EM VILA NOVA

NACIONALISMOS, POPULISMOS OU MUDANÇA DE PARADIGMA

REFLETINDO…………………

NATAL VILANOVENSE DE 2016

Categorias