Latest Ramblings

PENSAMENTOS PEDAGÓGICOS, ÉTICOS E FORMATIVOS

February 28th, 2017 | Comments Off on PENSAMENTOS PEDAGÓGICOS, ÉTICOS E FORMATIVOS

Foi-me oferecido um pequeno livro, onde encontrei muitos trechos interessantes de que muito gostei. Destes, dispus-me a resumir alguns e publicá-los no nosso “site”,convicto de que a maioria dos que os lerem encontrarão neles motivos para reflexão. Assim paulatinamente os iremos colocando á vossa apreciação começando hoje pelos seguintes:

1) – Seja optimista. Encare todos os problemas da vida como uma prova de avaliação para os superar e vencer. Tudo passa, as alegrias, as tristezas e as dificuldades por maiores que elas sejam, e tudo se pode superar, desde que as pessoas acreditem em si, e se disponham a lutar.

2) – Não esqueça aqueles que sofrem dificuldades e que por vezes vivem a seu lado. Crianças, velhos e doentes, precisam por vezes de ajuda, não só material, mas especialmente de carinho e atenção.

3) – Cada um colherá aquilo que semeou. Ninguém que semeou o Bem, poderá colher o mal, tal como duma árvore boa não virão maus frutos. Assim se a sua vida se pauta pela prática do Bem e da Justiça, será exemplo dentro e fora da sua casa.

4) – Vencem na vida os que a encaram com optimismo. Vencem sempre aqueles que por mais que custe lutar não perdem o sentido de atingir os seus objectivos. De degrau em degrau e com muita preserverança chegará ao cimo da escada. ( Se tiver fé talvez seja mais fácil ).

5) – A melhor maneira de viver é não perder a Esperança. Ela é o único direito que cada um tem de conseguir atingir os seus fins. Só espera quem acredita. Se acredita em si e nas suas capacidades, concerteza que os resultados vão chegar. Pode não ser no tempo e com a pressa que deseja, mas se for preserverante a vitória é certa.

6) – Não dê muita importância aos anos de vida que já tem. Dê sim muita importância á idade que imana do seu interior e irradia da sua fisionomia. Há muitos jovens envelhecidos pelo sistema de vida que levam. Há outros que apesar da muita idade transmitem uma aparência tão jovial, que chama a atenção de todos. Alimente bem o seu corpo, especialmente de bons sentimentos e muita paz de espírito. Ao fazê-lo estará a conservar a juventude exterior, que não morre no seu interior.

7) – Quando se sentir sozinho, com a tristeza a tomar conta de si, como uma nuvem negra que escurece a sua alma, não se entregue ao desânimo que o abate. Tome esse estado passageiro, como um aviso. Pertinho de si, deve estar alguém, doente, ou a precisar duma palavra amiga. É uma oportunidade de saír da sua tristeza e ir ajudar alguém, que terá razões para estar triste, e que com a sua visita se sentirá melhor.

8) – Seja sempre humilde. A humildade, pode não ser a maior virtude, mas é a mais bonita de todas, porque da pessoa humilde todos gostam, ao contrário do orgulhoso que não consegue ter amigos de verdade. Ser humilde é ter muito, como se não tivesse nada. É resguardar-se deixando os elogios para os outros. É fazer o bem como que isso seja um dever a cumprir.
9) – O nosso comodismo pode afasta-nos de sermos solidários. Muitas vezes temos a possibilidade de ajudar e até sentimos em nós essa vontade. Mas ficamos parados, indecisos, acomodados. Experimente vencer isso, e irá encontrar na ajuda fraterna, sentimentos de paz, alegria e bem-estar interior. Uma palavra, um sorriso, um conselho, são por vezes tão fáceis de dar, e deixam bem melhor aqueles que os recebem.

10) – Não seja avarento em relação aos talentos com que Deus e a Natureza o dotaram. Olhe e veja quantos os não receberam; os cegos, surdos e mudos, os paralíticos, ou os que não foram dotados das capacidades com que você foi previligiado. Dê por isso um pouco do que tem de melhor em si, àqueles que foram menos contemplados pelos factores da vida.

11) – Tome cuidado para não ser tentado a ser juiz dos outros, porque a vida deles só a eles pertence, e por ela somente eles terão que responder.A vida alheia não está sujeita ao seu julgamento. Os erros dos seus semelhantes pesarão apenas sobre eles. Não se intrometa na vida dos outros, como não admita que se intrometam na sua.

12) – Ame e faça bem o seu trabalho, porque é muito desagradável trabalhar somente pela obrigação de o fazer. O ser humano, não é um animal, que puxa a carga e vai para onde o levam. Faça o seu trabalho com amor e será criativo, e fará crescer a sua dignidade. Construa o mundo no qual habita com a inteligência e o coração.

13) – Aprenda a compreender o seu semelhante, pois é um erro querer-se a igualdade humana. Nunca a houve, nem irá haver. Não deve exigir dos outros que pensem e actuem como você. O exemplo vem da nossa própria família, pois apesar dos filhos terem nascido do mesmo ventre materno, nenhum é igual em fisionomia, temperamento e personalidade, e a mãe tem de saber compreendê-los tal qual eles são. Ela até gostaria que todos correspondessem e agissem como ela quereria, mas aceita-os tal qual eles são. Ora se assim é dentro da nossa casa, como poderemos exigir aos outros que ajam e se comportem como seria nosso desejo?

14) – Aprenda a conviver. É mais difícil viver em companhia do que sozinho, pois se viver só, age consoante a sua vontade, sem ter que dar contas a ninguém. Quando se tem uma parceira/parceiro, é necessário ter espírito de compreensão e de amor, para tornar possível a boa harmonia no lar.

15) – Seja implacável com o erro, para que se por hábito de com ele ser tolerante poder por ele ser contagiado. Deve no entanto ter uma atitude de caridade e paciência para com os que erram. O seu exemplo poderá levá-los ao bom caminho.

16) – Evite a arrogância e a prepotência, porque o que torna uma pessoa importante, não é o dinheiro, a posição que ocupa na sociedade, nem mesmo a autoridade que possa exercer. O que torna a pessoa importante, querida e respeitada, é a sua simplicidade e educação no falar e no agir. São os que pedem por favor e dizem obrigado.
17) – Devemos agradecer àquele que de forma educada nos aponta algum defeito. Ele viu-o e teve a franqueza de nos advertir a fim de o podermos corrigir. Ao agir desta forma acaba por nos fazer um favor. Outros poderiam aproveitar-se disso para nos humilhar. Aprendamos a receber com humildade os reparos justos que nos possam fazer.
18) – Aproveite os momentos de silêncio, para valorar a sua paz interior. Evite o barulho, o ruído, aqueles que tudo criticam. Reflita positivamente quando estiver só. Leia, ouça música, pense nas coisas boas da vida e nos momentos felizes que ela lhe trouxe. Ao fazer isto mesmo estando só, encontrará paz e bem estar interior, que lhe dará imensa felicidade.

19) – Todas as coisas boas da vida, nascem em ambientes onde exista serenidade e harmonia. Nada virá de bom que tenha origem na discórdia ou no ódio. Dos corações que convivem com o amor e a harmonia, só se pode esperar, a ordem, a paz e a felicidade. (experimente)

20) – Nada há de mais terrível que, a malediçência, a calúnia, a infâmia. Mesmo aqueles que de coração generoso conseguem perdoar, ficam feridos e comprometidos por ela. A sujidade e imundice exteriores, lavam-se com a água e desaparecem. Porém a infâmia que atinge a honra, cai dentro da alma, e essa provavelmente só Deus poderá perdoar.

21) – Conserve a sua serenidade, pois ela é a melhor prova de que o seu espírito é forte e equilibrado. Os afazeres do dia a dia não a devem perturbar, já que nem você nem ninguém conseguirá trabalhar bem no barulho e agitação exterior. Não se apresse a fazer as coisas, porque a pressa é inimiga da perfeição. O que tiver que fazer, faça-o com a serenidade de quem o faz por amor.

22) – Não queira ou sequer admita, vir a ser pior do que os outros, porque a vocação do ser humano, é o bem e não o mal. Temos que nos esforçar cada dia a sermos melhores. No entanto isso não nos deve levar a pensar que somos melhores do que os outros. Evite juízos de valor sobre si. Deixe que seja o seu exemplo a responder pelos seus actos.

23) – As leis humanas, são como as teias de aranha, porque só os pequenos insectos nelas ficam presos. Os grandes rompem-nas sem grandes custos. Esta é uma triste verdade da justiça humana, que assim se torna em injustiça. Mesmo assim, procuremos ser justos nas coisas e nos juízos que fizermos, pois isso fará com que os conceitos de justiça e o mundo se tornem melhores.

24) – Faça tudo para ser sincero. Ninguém lhe pode exigir a perfeição, porque ninguém a tem. Devemos saber enfrentar com coragem e dignidade as nossas quedas e os nossos erros. Essa postura de humildade ajudará á sua correção. Lembre-se que atrás de cada desculpa, quase sempre está uma mentira.

25) – Devemos ser honestos em nossos actos e pensamentos, porque assim aprendemos a melhor aceitar os outros como seguidores dos mesmos valores. Quando desconfiamos dos outros, podemos estar a esquecer-nos de nós mesmos. Se admitimos que somos honestos, devemos ter a mesma convicção para com os outros. ( No entanto não sejamos ingénuos )
26) – Ninguém tem o direito de enganar ninguém. Porque enganar é iludir e mentir, e também não se deve mentir. Mas, em rigor os homens podem ser enganados. Somente a consciência não engana, nem pode ser enganada, porque ela é como uma bússola colocada no mais profundo do nosso ser, para nos conduzir pelos caminhos da justiça, do bem e da verdade.
27) – Não seja mandrião, porque Deus deu-lhe a vida para se movimentar, trabalhar e ganhar com o suor, o pão para alimentar o corpo. Aquele que fica ocioso a ver passar o tempo, é como se estivesse a morrer antes do tempo. A vida é um caminho, que para os crentes deve ter um fim em Deus. Até lá como dizia S. Bento ” ore et labore ” isto é reze e trabalhe.

28) – Aquilo que mais dignifica o homem é o trabalho, porque é ele que o eleva perante si mesmo, a sociedade, e para os que crêem, aos olhos de Deus. A grande corrida da vida humana deveria ser a de quem chegasse primeiro no amor seguido na dedicação ao trabalho.

29) – Tudo o que é falso morre sem criar raízes, porque somente a verdade tem profundidade, germina, frutifica e cria substância. Os erros fazem o mal, mas não duram sempre e desaparecem, já que a verdade é eterna e esta não pode passar.

30) – Aprenda a receber as adversidades da vida como desafios á sua própria necessidade de viver e vencer. O que é conquistado com esforço e espírito de sacrifício tem mais valia, do que aquele a quem tudo foi dado sem que da sua parte nada tenha feito para o conseguir. O primeiro pode recordar as pequenas vitórias, até ao sucesso, o segundo, nada tem para recordar, porque nada fez para o atingir.

31) – Diz-se que é feliz aquele que tem o dom de transformar o pouco em muito. O que sabe dar valor quase infinito, a um simples sorriso de bondade dirigido a um “irmão”. O que consegue cada dia agradecer a Deus o dom da vida.

32) – Atraia felicidade para si, juntando a sua alegria á dos que vivendo å sua volta irradiam felicidade. Congratule-se com eles e deseje-lhes os maiores êxitos nos seus sonhos e projectos. Se tiver que dar a sua ajuda para que o seu amigo seja feliz, não lha recuse, pois com esse gesto atrairá também alegria e felicidade sobre si mesmo.

33) – Já pensou na força e no poder duma lágrima? Se genuína, ela é uma demonstração externa, dos sentimentos que estão dentro de si. Ela pode ser o retrato molhado do sofrimento, como a doce resposta do amor e da felicidade. A sua lágrima é a prova mais eloquente da sua sinceridade.

34) – Não se assuma como dono da verdade. Não desista daquilo que a sua inteligência aprendeu como verdadeiro, a não ser no dia em que se convencer de que isso não é a verdade. Respeite as opiniões dos outros, se eles as entendem para si como verdadeiras. Ninguém é dono da verdade ao ponto de a querer impor aos outros. A Verdade é Universal, mas nos aspectos subjectivos da inteligência, cada um a vê a seu modo. Defenda por isso a que conhece, e respeite a que o outro professa.

35) – Não esqueça os dons que Deus lhe deu e a Natureza, materializou. Pés para andar, mãos para trabalhar, língua e voz para falar, olhos para ver, ouvidos para ouvir, inteligência para pensar, e coração para sentir e amar. Tudo isso por vezes nos pode ser pedido emprestado, para ir de encontro a quem precisa deles . Não dispense a oportunidade, pois assim demonstra a Quem lhos deu, a utilidade de os ter recebido.

36) – A prática do Bem não está sujeita aos impulsos naturais da nossa simpatia, ou da amizade pessoal. Esse mérito estará antes no facto desse Bem, ser praticado na pessoa dum semelhante, por vezes desconhecido, que se cruza no nosso caminho. Ficará bem representado aqui aquele velho provérbio que diz “faz bem sem olhar a quem”
37) – O ser humano é um capítulo especial na obra da Criação. É um pensamento de amor que retrata a imagem e semelhança do seu Criador. Se por um lado é um privilégio, por outro é também uma grande responsabilidade, a de ter que guardar e demonstrar a imagem que Ele colocou dentro de nós e que será a da bondade do seu coração .

37) – Quando numa casa, todos riem, confraternizam e são felizes, aí deve morar uma mulher esquecida de si mesma. Essa mulher que se esquece de si, para não esquecer os que dela dependem, só pode ser uma Mãe.

38) – Pense em si, mas pense também nos outros, naqueles que precisam de si. A melhor recompensa para o seu coração, é a que vem da prática duma boa acção.

39) – Faça de cada dificuldade por que esteja a passar, um caminho para se tornar melhor. A vida vale pelos esforços que cada um faz no sentido de a dignificar. Valorize-se sempre com o seu trabalho, para que dele resulte maior grandeza moral e espiritual. Descubra-se na sua capacidade de vencer os obstáculos que surgem no seu caminho.

40) – A vida traz-nos felicidade e sofrimento, pelo que quando este nos visita porque perdemos a saúde, não entremos em desespero. Sejamos fortes de espírito, procuremos a ajuda junto dos profissionais da saúde, e se formos crentes, também através da oração e da devoção a um santo de Deus. Essa crença pode dar-nos força e ânimo para os problemas vencer. Nunca devemos perder a esperança.

41) – Quando o sofrimento ou a doença nos bate á porta, somos muitas vezes levados a pensar que isso é um castigo de Deus, quase uma vingança pelo nosso comportamento. Isso entraria em contradição com as suas palavras, quando disse “vinde a mim todos os que estais sobrecarregados e Eu vos aliviarei”. Portanto Deus ama, ajuda e não castiga.

42) – Seja alegre e espalhe alegria onde estiver, porque o mundo dos homens está precisando da sua alegria. O semblante das pessoas anda carregado, triste e sem esperança, devido aos problemas da vida. Todos os temos, mas quando se tem consciência deles, há que ter força para os encarar e vencer. E nada melhor do que a alegria contagiante dum amigo para o conseguir.

43) – Pratique sempre o Bem onde quer que esteja. Faça isso com prazer de tal forma que isso fique como um exemplo, como uma marca pessoal, que possa ser seguida pelos que consigo convivem, e assim imitem a sua forma de estar e viver.

44) – Quando estivermos investidos de autoridade, saibamos exercê-la como um serviço á comunidade, e não como um privilégio recebido que apenas sirva para alimentar a nossa vaidade. A autoridade deve ser encarada como uma missão ao serviço do bem comum.

45) – Quem trabalha deve habituar- se a encarar e resolver as dificuldades da vida, como sendo algo natural que acontece e é relativo á nossa vivência neste mundo. Conhecem alguém que não tenha tido dificuldades ao longo da vida? Um trabalhador humilde, ou um cientista, são ambos construtores do mundo, e na sua caminhada não faltarão dificuldades a vencer. Há que as encarar com serenidade, procurar-lhe as causas, e depois resolver, sozinho ou com a ajuda de profissionais e amigos.

46) – Não se deixe escravizar pelos bens terrenos, porque são passageiros e ficam cá. Valha mais pelo que você é, do que por aquilo que você possui. O que conta é o seu património espiritual, porque o material não o acompanha com a sua morte.

47) – Quando nos encontramos numa situação intermédia de mandar, mas também obedecer, devemos procurar ser justos nas nossas decisões e para isso nada melhor do que colocar-se na posição do seu subalterno, que tem que lhe obedecer a si. Se o conseguir, certamente que saberá acatar as ordens superiores, mas também ser justo com os que lhe estão subordinados

48) – Todos os que procuram viver em rectidão de princípios, terão em S.Francisco de Assis um modelo, e como ele pedir ao Criador: “Senhor, fazei-me instrumento da vossa paz. Onde houver ódio que eu leve a amor!; onde houver ofensa, perdão; onde houver discórdia união; onde existir erro, verdade; onde houver dúvida, fé; onde houver tristeza alegria, porque é dando que se recebe”.

49) – A dignidade da pessoa humana está em sabermos enfrentar directamente e com verdade qualquer situação que se nos apresente. Não nos devemos refugiar nos “ses”. A dignidade humana passa sempre pelo nosso comprometimento sincero e verdadeiro connosco e com os outros.

50) – Não há na Terra, nenhuma pessoa completamente livre. Por mais sábio, mais importante e poderoso que seja, que não tenha um dever a cumprir e responder perante alguém. É que o homem está na terra como um peregrino e com uma missão a cumprir, da qual terá que prestar contas à quem o enviou. Todos viemos, mas nenhum fica, porque estamos comprometidos com uma vida eterna.

NACIONALISMOS, POPULISMOS OU MUDANÇA DE PARADIGMA

February 28th, 2017 | Comments Off on NACIONALISMOS, POPULISMOS OU MUDANÇA DE PARADIGMA

Em 29.06.2014 o Papa Francisco numa entrevista ao jornal “El Mensagero “, respondendo à pergunta se o mundo estava a viver uma mudança de época, disse: “Se o mundo estiver realmente a mudar, trata-se duma mudança de cultura, que alimenta a decadência moral na política, e na vida social e financeira”.
A quase três anos de distância estas palavras ganham actualidade, porquanto o mundo está envolvido na maior e mais complexa evolução de sempre, e nem sempre no melhor sentido. Por serem enormes e complexas, as transformações estão a gerar medo e nervosismo nas pessoas, porque não se lhes conhecem as suas reais consequências.
Nos tempos que correm os problemas são maximizados, não existindo qualquer relativismo e bom senso na análise, daí podermos vir a pagar caro o mediatismo desregrado como as questões são abordadas, sendo disso exemplo a nossa classe política e alguma comunicação social.
Estamos a comemorar o centenário da Revolução russa marxista/leninista, que através da ideologia comunista advogava a transformação do mundo, o derrube do capitalismo e um mundo mais igual e justo, sem exploração do homem pelo homem. Esta ideologia contagiou muita gente, especialmente jovens e muitos intelectuais. A mensagem passou bem nos média e durante cerca de seis a sete décadas, conseguiu manter-se na vanguarda, exactamente porque tal como hoje se maximizavam as suas supostas virtualidades, sem que com o mesmo enfâse se lhes apontavam os seus pontos fracos, que desde sempre foram muitos, especialmente no capítulo das liberdades. Foram milhões os que com ou sem culpa formada foram presos, mortos e deportados para centros de reeducação, especialmente o Goulag na Sibéria, que o escritor russo Solljestine celebrizou em livro.
A ideologia marxista/leninista, acabaria por se desmoronar, porque nada se mantém a partir da mentira, da repressão e da falta de liberdades (todas). Os esforços do Papa João Paulo ll, e especialmente a queda do Muro de Berlim, foram também condições essenciais para o fim desta ideologia que ao tempo já não conseguia atraír adeptos, a não ser os ortodoxos, que apesar das contrariedades dos sistemas, aos mesmos se mantinham/mantêm fiéis, porque se recusam a reconhecer as falhas que os críticos lhes apontam, mantendo-se dogmáticos e agarrados aos seus ideais.O mundo ocidental, com a democracia como suporte ideológico, o capitalismo e a livre iniciativa como sistema económico, e com um estado social implementado pelos Estados, especialmente após o final da segunda guerra mundial, conseguiu um progresso, e níveis de vida e de bem-estar, até então jamais atingidos. Este programa ajudou á consolidação da paz e do progresso na Europa ocidental, atraíu para dentro de si, milhões
de cidadãos de outras partes do mundo, tal que uma intensa e/imigração interna que moldou culturas e trouxe benefícios mútuos para todos. No entanto a dinâmica desta realidade, não se ficou pelas fronteiras internas, já que a Europa e os Estados Unidos, detentores dos melhores quadros, das melhores tecnologias, das maiores empresas, e dos maiores fluxos financeiros provocaram através delas enormes transformações mundiais a todos os níveis, expandiram-se e criaram a globalização económica e financeira que gerou deslocalizações massivas de fábricas e empresas especialmente para o Extremo Oriente, onde a abundância de mão de obra disponível e barata, tornaram estas economias super competitivas, tirando assim algum protagonismo aos seus mentores, a falência de muitas empresas europeias e americanas incapazes de concorrer com as economias asiáticas, que eles próprios tinham ajudado a crescer, gerando desemprego e bolsas de pobreza em muitos países que a ela já não estavam habituados, valendo ás pessoas especialmente na Europa, os sistemas de Segurança Social, que se substituiram ás empresas, na sustentabilidade de alguma qualidade de vida, e dos sistemas de educação e saúde globais.
Os custos financeiros cada vez mais acentuados destes sistemas de solidariedade, que ninguém imagina pagar por os considerarem direitos adquiridos, e o aumento da esperança de vida, podem vir a tornar-se insustentáveis nos moldes actuais, até porque as guerras e conflitos em África, e Médio Oriente, tem trazido alguns milhões de refugiados á Europa, que os tem acolhido na sua maioria, e que por via disso mais enfraquece os sistemas de solidariedade vigentes. Esta entrada em massa e com pouco controle de pessoas, de culturas e formas de vida diferentes das existentes na Europa, é mal aceite por muitos sectores da sociedade europeia, devido especialmente ás ideologias políticas e religiosas existentes em grande parte dos países de onde eles são oriundos, e que são causadores das guerras e problemas que obrigam os mesmos a estas deslocações. Elas causam medos e inquietações, e também o radicalismo de muitos políticos e cidadãos europeus contra eles, que são depois aproveitados por partidos nacionalistas, que estão a ganhar muita força política interna prevendo-se mesmo, que venham a ocupar o poder em muitos deles.
Os nacionalismos raramente trazem benefícios aos povos, porque quase sempre e para se protegerem fecham-se, e num mundo fechado, as ideias, o progresso científico e tecnológico definham, daí que se espera que o bom senso venha a imperar, para que com políticas adequadas,a Europa continue a ser a referência civilizacional da humanidade.
A moderação na análise tem que voltar a ser tida em conta, para que os alarmismos, não tomem conta das nossas vidas. Os males do mundo sempre existiram, por vezes com contornos diferenciados. As situações são mutáveis e nada permanece sempre igual, o que é necessário, é que haja equilíbrio analítico, e não se empole somente o que de negativo neles possa existir. Uma verdade é certa, nunca como agora houve tanto progresso económico, tecnológico e científico. Ele estendeu-se a todas as partes do mundo, e em muitos países chamados de emergentes, Brasil, Rússia, Índia, China, África do Sul, Indonésia, Singapura, México, essas bolhas são bem visíveis. Deles destacou-se a China, que mercê da sua enorme massa humana e da tecnologia posta á sua disposição, pelas grandes empresas multinacionais, que para serem competitivas em muitos mercados ali se instalaram. Os chineses aprenderam depressa as regras capitalistas da produtividade e da concorrência, e assim colocaram os seus produtos em todo o mundo, a preços imbatíveis. A qualidade dos produtos made In China nem sempre é boa, mas sítios onde o poder de compra é reduzido, ela serve as populações.
A China ao manter a política de “um país, dois sistemas” já que política e ideológicamente se diz comunista, mas capitalista em termos económicos e financeiros, alargou ainda a sua influência aos países sub-desenvolvidos de África (Angola é um caso concreto) através de contratos de parceria na construção ou reconstrução das grandes infraestruturas rodo/ferroviárias, barragens, portos e aeroportos, onde são eles (os chineses) os grandes beneficiados, já que vêm equipados inclusivé com mão de obra chinesa, que trabalha sem horário sete dias por semana.
A qualidade nas obras também deixa muito a desejar, mas como os chineses concedem crédito por vezes a longo prazo, e aceitam colaterais de pagamento em matérias primas, como o petróleo, ou mesmo grandes extensões de terra locais, para ali produzirem produtos agrícolas em falta no seu país, para onde depois são exportados, conseguem com isso atingir os objectivos económicos desejados, pois ao manterem-se residentes permanentes, importam da China produtos manufacturados, que devido ao seu baixo preço impedem o aparecimento, ou manutenção das indústrias locais, que vão á falência por falta de viabilidade económica.
A globalização foi assim um presente oferecido á China, e aos países onde é deficitário o cumprimento dos Direitos Humanos, já que os trabalhadores trabalham muito e ganham pouco, embora vivam agora melhor do que, e quando apenas, tinham na agricultura a sua actividade laboral e forma de fraco sustento.
Com regras económicas e sociais tão diferenciadas, são naturais as preocupações de quem tem de concorrer obrigado a cumprir outro tipo de regras, daí talvez se entender a política do novo presidente americano ao diabolizar as relações comerciais com a China e não só, correndo no entanto o risco de estar a ver os problemas apenas dum lado, e a esquecer os benefícios que muitas empresas americanas tiram da globalização.
Chegados a este patamar, é preocupante o presente e incerto o futuro, pelo que todos teremos que estar atentos, ao modo como, as políticas internas vão evoluir, tal como os responsáveis comunitários vão defender e conduzir os destinos dos europeus, e das nações que integram a Comunidade Europeia. Esperemos que a sabedoria e o bom senso imperem, a dinâmica da história faça o seu caminho, e as mudanças naturais e necessárias que venham a ocorrer, sirvam de consolidação e suporte para o que até hoje foi conseguido,em benefício da Europa e por influência dela da Humanidade no seu todo.

Fev.2017

José Baptista då Silva

REFLETINDO…………………

January 24th, 2017 | Comments Off on REFLETINDO…………………

Como introdução a esta reflexão, começaria com um pensamento d’alguém que diz; ” Não te agarres ao Passado, porque ele já passou. Se algo de bom ele te recorda guarda-o. Procura viver bem o Presente, porque o Futuro será um pouco do presente de cada dia”
Se seguir-mos este pensamento que é bem real e concreto, parece entender-se que os sonhos estão arredados da vida, tendo apenas que contentar-nos com o que formos capazes de fazer ou adquirir no dia a dia.
Certamente não será isso que nos querem transmitir, porque na vida têm que existir expectativas em todos os seus domínios, jå que ao contrário, ela seria dum marasmo e vazio completos.
A democracia grega “governo do povo pelo povo” era vista e aceite pelos gregos, sob variados princípios, tal como aceitavam o “Caos ” como um eterno recomeço. Isto é, chegados a um ponto de ruptura era tempo de mudar de modelo, e substituí-lo por outro, voltando assim ao princípio que conduziria o sistema democrático ao bom desempenho no governo da “Pólis “.
Se recuarmos aos meados do séc.XX a ” classe pensante ” internacional, apontava os males do mundo ás más relações Este/Oeste, geradoras da chamada “guerra fria”, a que juntavam o colonialismo ainda existente no continente africano.
Aconteceu porém, que o colonialismo acabou, já que os povos colonizados pelos europeus, ficaram donos dos seus próprios destinos, mas os problemas agravaram-se praticamente na generalidade de todos eles, (recém independentes), com guerras civis cruéis e intermináveis em boa parte deles, aumentando também as doenças, a fome, a miséria e o desmantelamento das infra-estruturas económicas e financeiras instaladas.
O mesmo viria a acontecer com a queda do muro de Berlim, ( também chamado muro da vergonha, porque impedia os alemães de leste de entrar livremente na parte ocidental, porquanto a guerra tinha dividido a Alemanha em duas, a Federal a oeste e a Democrática a leste ) e com a sua queda ( muro) deu-se o colapso do comunismo como ideologia que sustentava os países a leste, integrados no chamado bloco soviético, no Comecom e no Pacto de Varsóvia.
O desmantelamento do muro permitiu a reunificação alemã e a reorganização das autonomias dos países até então conotados e sob a alçada soviética, e ainda enormes mudanças polīticas, sociais e económicas em toda a União Soviética. Todos estes acontecimentos, não trouxeram como antes se pensava a paz e a harmonia necessárias ao continente europeu e ocidental. Os problemas foram substituídos por outros novos, que persistem e geram as mesmas inquietudes do passado.
No presente será a crise do Euro, da saída da Inglaterra da Comunidade Europeia, dos Refugiados e do terrorismo, aquilo que mais inquieta os europeus, mas se por feliz acaso estes problemas se vierem a resolver, certamente que outros virão, porque como se diz e conhece “uma causa gera sempre um efeito”, entrando-se assim na velha teoria do Caos dos gregos, e com ele no eterno recomeço.
Este raciocínio leva-nos ao início desta proposta reflexiva que nos aconselha a viver o presente, porque o futuro é, ou será sempre um pouco do presente de cada dia.
Deste modo, convictamente poderá dizer-se que a história de vida de cada um, terá que ser construída todos os dia. Ela vai ter, como já aconteceu com os que nos precederam, momentos bons, outros nem tanto, e ainda alguns piores. Para viver todas estas vicissitudes existenciais é necessário um espírito tranquilo e procurar não fazer aos outros aquilo que não queremos nos façam a nós. Ou traduzindo para linguagem política, jurídica e democrática moderna, a nossa liberdade termina, onde começa a liberdade do outro.
Aos que forem capazes de assim viver, certamente lhes estará destinada a felicidade e tranquilidade de espírito necessárias á sua conquista. Para os crentes que nos lerem, aconselhamos se inspirem nas virtudes teologais; a Fé para além de acreditarem em Deus, acreditem também em si próprios e nas suas capacidades, a Esperança como condição para não desistir de lutar no que se acredita, e a Caridade, para lembrar que a Solidariedade é o mandamento maior, e aquele que o Mestre do Cristianismo nos trouxe; amai-vos /ajudai-vos, sede solidários uns para com os outros. Não basta dizer Senhor,Senhor, antes fazer a vontade do Pai que está nos céus.
Boa reflexão e bom ano de 2017.

Jan/2017

José Baptista da Silva

NATAL VILANOVENSE DE 2016

January 24th, 2017 | Comments Off on NATAL VILANOVENSE DE 2016

Está o ano a findar e como sempre acontece neste período nos países onde a cultura ocidental, de que o Cristianismo faz parte ou neles se implementou, celebra-se o nascimento dum menino, que mudou o mundo. Essa mudança não se deveu apenas ao seu nascimento, mas também a toda a sua história de vida, e ás consequências que dela advieram para a História, a Cultura, a Religião e a Humanidade.

Muito embora a celebração do Natal nos dias que correm, esteja algo desvirtuada do sentido que lhe deu origem, já que os negócios e o Consumismo dela se apoderaram, apesar disso, não deixam de ser vividos momentos de convívio fraterno, de alegrar as crianças com os presentes, que lhes colocam junto da árvore ou no sapatinho, e nem que seja de forma circunstancial os votos de boas festas entre amigos, parentes e conhecidos. Portanto, e apesar de tudo, é bom e necessário que exista e se celebre o Natal.
Na nossa terra, este ano com muito frio, também se celebrou e viveu o Natal. Houve um belo concerto de Natal no Centro Cultural, oferecido á população pela nossa Banda Filarmónica, que para lhe dar mais brilho, qualidade e espírito natalīcio, teve a parceria da Banda Filarmónica de Paços da Serra, fogueira gigante na avenida, missa do galo em Tazem, missa de Natal na nossa magnífica igreja, houve idas e vindas de familiares, uns de mais perto, outros de mais longe, houve ceia com o tradicional bacalhau temperado com o bom azeite e regado com o nosso magnífico vinho, as filhoses, o bolo-rei, o queijo da serra e tantas iguarias que nesta quadra fazem parte e estão presentes nas mesas de todos nós. Houve ainda o reviver de amizades entre amigos que por vezes passam longos períodos de tempo sem se ver. Por tudo isso vale a pena haver Natal, que mesmo que por vezes dele se esqueçam é obra e deve-se ao Deus menino e a todo o mistério que O envolve .
Acreditando na História e nos Livros Sagrados, cantemos todos a sua Mensagem de Paz e Amor, que a cumprir-se tornaria o mundo muito melhor. Para os descrentes apelamos que mesmo não acreditando Nele, acreditem e ponham em prática a sua Mensagem.
Boas Festas para todos e um muito bom Ano de 2017.

Dez.2016

José Baptista

Pensamentos

December 23rd, 2016 | Comments Off on Pensamentos

Retirei de alguns livros e folhetos avulsos, pedaços de textos, afirmações e pensamentos de diversas personalidades da Cultura, que achei por bem guardar neste cantinho do computador, para talvez um dia e sinteticamente as recolocar á consideração de leitores interessados.

E, como as crianças estão em primeiro lugar, começo com as perguntas de dois netos de 3 e 7 anos a um avô, Jaime Nogueira Pinto, que os cita numa entrevista ao ” Diário de Notícias ” pág.8, de 17.12.2016, e onde a propósito da morte da avó dos meninos, um deles ao ver colocar o caixão no carro funerário lhe pergunta ” .. como é que a avó vai para o céu de carro..”, e outro estando com ele na missa e quando o celebrante bebe o vinho do cálice lhe pergunta ” porque o padre bebe ågua”. Perguntas inocentes de duas crianças curiosas e interessadas sobre os porquês das coisas, que nos devem fazer pensar também a nós os mais velhos, sobre as razões da nossa existência, e da forma como a estaremos a viver.

Os excertos a seguir talvez ajudem na reflexão, e, a mais facilmente encontrar respostas.
Se não fores atrás do que queres, nunca o irás ter

Se não perguntares, a resposta vai ser sempre não

Se não deres um passo em frente, nunca sairás do mesmo lugar

A palavra convence, mas o exemplo arrasta

A maior ambição do ser humano é querer colher aquilo que não plantou

Dá, mas não permitas que te usem

Ama, mas que não abusem do teu coração

Confia, mas não sejas ingénuo (a)

Escuta, mas nunca percas a tua voz

Faz o que deves
E encontrarás o que precisas
Retirado de folhetos avulsos e de autores para mim desconhecidos

Não te preocupes com o julgamento dos outros
Sê sempre autêntico e verdadeiro
Dalai Lama – filósofo e monge budista

Pegadas na Areia

Uma noite tive um sonho.
Estava a passear na praia com o meu Senhor,
Pelo céu escuro passavam cenas da minha vida.
Por cada cena, percebi que eram deixados dois pares
de pegadas na areia,
um que me pertencia
E outro do meu Senhor.

Quando a última cena da minha vida passou perante mim,
olhei para trás para as pegadas na areia.
Havia apenas um par de pegadas.
Apercebi-me de que eram os momentos mais difíceis
e tristes da minha vida.
Isso sempre me incomodou
E interroguei o Senhor
Sobre o meu dilema.
“Senhor quando decidi seguir-Te , disseste-me
que caminharias ao meu lado
e falarias comigo todo o caminho.
Mas apercebo-me de que,
durante os momentos mais atormentados da minha vida,
há apenas um par de pegadas.
Não percebo porque razão, quando mais precisei de Ti,
Tu me deixaste”

Ele segredou:

” Meu precioso filho,
Eu amo-te e nunca te deixarei,
nas horas de provação e sofrimento.Nunca.
Quando viste na areia apenas um par de pegadas
foi porque Eu te carreguei ao colo, e transportei-te, daí
apenas teres visto uma marca de pés na areia,
que era a minha
Margarete Fishback Powers,1964
Serenidade e fé;

Acalma coração
Deus age a nosso favor
E não desampara, os
Que Nele confiam
“Tão pobres nós somos que as mesmas palavras nos servem para exprimir a mentira e a verdade”
Florbela Espanca

” Quem disser que pode amar alguém durante a vida inteira, é porque mente ”
Idem

“A ironia é a mais perfeita expressão do pensamento ”
Idem

” Adoramos a perfeição , porque a não podemos ter,
e repugnala-ia-mos se a tivesse-mos.
O perfeito é desumano, porque o homem é imperfeito”
Fernando Pessoa

“Matar o sonho é matarmo-nos.
É mutilar a nossa alma.
O sonho é o que temos de realmente nosso……”
Idem

“Haja ou não deuses, deles todos, somos servos ”
Idem

“O mundo é de quem não sente. A condição essencial para se ser um homem prático, é a ausência de sensibilidade”
Ibidem

“Ó mar salgado, quanto do teu sal
São lágrimas de Portugal !
Por te cruzar-mos, quantas mães choraram
Quantos filhos em vão rezaram!
Quantas noivas ficaram por casar
Para que fosses nosso, ó mar!

Valeu a pena? Tudo vale a pena
Se a alma não é pequena.
Quem quer passar além do Bojador
Tem que passar além da dôr.
Deus ao mar o perigo e o abismo deu,
Mas nele é que espelhou o céu.
Ibidem

“Todo o homem de acção é essencialmente animado e optimista, porque quem não sente é feliz”
Ibidem
” A arte consiste em fazer os outros sentir o que nós sentimos, em os libertar deles mesmos, propondo-lhes a nossa personalidade para especial libertação”
Ibidem

O povo nunca é humanitário.O que há de mais fundamental na criatura do povo, é a atenção estrita nos seus interesses, e a exclusão cuidadosa, praticada sempre que possível, dos interesses alheios.”
Ibidem

” Viver não é necessário.Necessário é criar”
Ibidem

” A maldade é congénere do homem”
Camilo Castelo Brancol

” Viver é ansiar a felicidade possível e a impossível”
Idem

” A morte emenda todos os actos da vida”
Idem

” Ninguém é pobre quando ama”
Ibidem

” Eu não sou bom, nem quero sê-lo.Contento-me em desprezar quase todos , odiar alguns, estimar raros e amar um”
Ibidem

” Em coisas insignificantes é que um verdadeiro amigo se avalia”
Ibidem

” O amor é uma luz que não deixa escurecer a vida”
Ibidem

” O amor só vive pelo sofrimento, e cessa com a felicidade ; porque o amor feliz é a perfeição dos mais belos sonhos, e tudo o que é perfeito ou aperfeiçoado, toca o seu fim”
Ibidem

” o amor é a primeira condição da felicidade do homem”
Ibidem

“A felicidade é parecida com a liberdade, porque toda a gente fala dela, mas ninguém a goza”
Ibidem

Os anos prósperos não vêm por acaso.Nascem de muita fadiga e de muitos intervalos de desalento” (que grande verdade acrescento eu)
Ibidem

” O homem que ama, é um tolo sublime”
Ibidem

” A Paciência é a riqueza dos infelizes”
Ibidem

” A Caridade é a felicidade dos que dão e dos que recebem”
Ibidem

Vejo-te ainda, mãe de olhar parado,
Da pedra e da tristeza no teu canto,
Comigo ao colo, morto e gelado,
Embrulhado nas dobras do teu manto

Miguel Torga
In Diário I

” O valor das coisas
Não está no tempo que elas duram,
Mas na intensidade com que acontecem,
Por isso existem momentos inesquecíveis,
Coisas inexplicáveis e pessoas incomparáveis”
Fernando Pessoa

” A roda anda por toda a parte, mas o eixo não”
Prof.Adriano Moreira

(Pessoalmente penso que o que o Professor nos quer dizer é que nós podemos andar pelo mundo, viver com diversas culturas, movimentarmo-nos em diversos quadrantes ideológicos, mas os valores sobre os quais nos regemos permanecem connosco, tal como o eixo permaneceu com a roda em andamento, apenas para a sustentar, mas sem andar.)

A busca da felicidade, deverá ser o guia da nossa existência.
Henry Thoreau
O homem deve usufruir da vida e saber aproveitá-la, em vez de ser escravo do vil dinheiro.
Idem

” nos tempos que correm, nas nossas sociedades de informação superficial e opinião instantânea, ler, é um luxo, reflectir é uma perda de tempo, e, tentar entender o outro é um exercício inútil ” Miguel Sousa Tavares – Expresso,pag.7, 19.11.2016i

“A democracia não promete a riqueza das nações, nem o eterno bem-estar dos povos. Ela apenas propõe que aceitemos viver como homens livres e respeitemos a liberdade dos outros, protegidos contra a tentação dos abusos, que sempre existem no exercício do poder”
idem.

” Eu gosto de gente que seja capaz de fazer da própria vida, a mais bela das obras ”
Eugénio de Andrade. – escritor

” Aquele que não tem tempo de cuidar da saúde, vai ter que arranjar tempo para cuidar da doença”. Lair Ribeiro

” As Escrituras (livros sagrados) crescem com os que as leem ”
S.Gregório Magno

As Escrituras não se podem compreender teologicamente,
se antes as não compreendermos gramaticalmente.
Philips Melanchthon
Humanista Reformador

Problemas com a Auto Estima

November 17th, 2016 | Comments Off on Problemas com a Auto Estima

A Auto Estima é a opinião, é o sentimento que a pessoa tem sobre si mesma. É ser capaz de se respeitar, confiar e gostar de si. Isso adquire-se através do diálogo interno, de si, para si.

Causam situações de baixa auto estima; a insegurança, as dúvidas permanentes, os sentimentos de que não é capaz de fazer nada bem, os sentimentos de culpa, de rejeição, de frustração, de vergonha, a inveja, o medo, a timidez, a raiva, e especialmente uma grande necessidade de agradar e serem-lhe reconhecidos os seus méritos.

Tudo isto pode ter começado na infância, e ter origem na forma como fomos tratados, em casa, na escola, e depois no trabalho. As decepções amorosas podem também ter as suas consequências.

Para elevar a auto estima é aconselhável; conhecer-se melhor a si mesmo/a, gostar da sua imagem ao espelho( o exercício físico diário pode ajudar), reconhecer que tem qualidades e não somente defeitos ( valorize aquilo de que mais gosta em si ), gostar de si, escutar a sua intuição ( o que com verdade lhe diz de si o seu coração ), acreditar que merece ser amado/a, fazer todos os dias o que mais gosta ( ler, escrever, ouvir música, caminhar, e no contacto com os outros, procure ser alegre, sensível, e optimista.

Habitue-se a pensar que qualidades e defeitos, todos nós temos. O necessário é saber viver com eles, duma maneira pacífica. Coloque na sua cabeça que ninguém é perfeito.

Experimente uma relação saudável com as pessoas, ( afaste-se dos pessimistas, e dos que só sabem dizer mal de tudo e de todos ) e se o conseguir, vai ver que encontrará a paz de espírito necessária para ser feliz.

José Baptista da Silva
Nov2016

NACIONALISMOS, POPULISMOS OU MUDANÇA DE PARADIGMA

REFLETINDO…………………

NATAL VILANOVENSE DE 2016

Pensamentos

Problemas com a Auto Estima

PENSAMENTOS PEDAGÓGICOS, ÉTICOS E FORMATIVOS

O Vinho – A aposta na qualidade continua

Encerramento do Banco BPI em Vila Nova de Tazem

Prémio João de Deus 2016

Amor e abnegação no sofrimento

VILA NOVA PERDEU MAIS UM FILHO ILUSTRE

Categorias