O Vinho – A aposta na qualidade continua

by Jose Baptista | November 17th, 2016

A maior e melhor visibilidade e carta de apresentação de Vila Nova para o exterior, sempre foi ao longo dos tempos a qualidade do vinho aqui produzido. Quando em conversa de circunstância nos perguntam de onde somos, e ao mencionar-mos o nome de Vila Nova de Tazem, raras são as pessoas que a não referem como a terra do bom vinho do Dão.
Esta mais valia conquistada pelos nossos antepassados, e sabida manter por todos os que se lhes seguiram e ao vinho se dedicam, merece ser enaltecida, não somente pelo contributo e visibilidade externa que acrescenta á nossa terra, mas especialmente, por ser uma actividade económica muito importante para Vila Nova e terras vizinhas, e, porque a qualidade do vinho se mantém, ou mesmo melhorou, sendo disso prova os prémios e medalhas que a Adega Cooperativa e particulares têm conquistado nos certames e exposições em que participam, como foi ultimamente a medalha de ouro atribuída ao vinho ” Adega da Vila ” comemorativo dos sessenta anos de existência da Adega.
A realidade viti-vinícola de hoje é completamente diferente daquela que existia quando da fundação da Adega Cooperativa, e maior ainda se mais recuarmos no tempo. Diz-se que a história é dinâmica e esta realidade confirma a regra, que um poeta também confirmou dizendo ” mudam-se os tempos, mudam-se as vontades/verdades “, pelo que só a muito custo estas realidades cooperativas se irão manter, dada a debandada dos sócios que por falta de rentabilidade, se vêm obrigados a arrancar as suas videiras, deixando assim de colocar as uvas na Adega. Esta com pouca produção face ás capacidades instaladas, terá cada vez mais dificuldade de concorrer com os produtores privados, que com estruturas mais leves, quadros técnicos competentes e gestão personalizada, terão custos de produção mais baixos, e, por consequência maior capacidade competitiva no mercado.
Esperemos que apesar das dificuldades a Adega Cooperativa se mantenha, e se possível faça render melhor os vinhos de alta qualidade que produz, pois no nosso modesto entender, um vinho medalhado, devia imediatamente subir o preço para valores compatíveis com a sua qualidade, acompanhando isso com alguma promoção mediática. A qualidade de qualquer produto tem que se pagar e os bons vinhos também. Sei que o fundo de maneio da Adega é escasso, e que isso limita e condiciona uma gestão mais pró-activa, mas seria bom pensar em soluções que ajudem a Adega a manter-se, e os sócios a serem melhor remunerados, para que não desistam e mantenham as suas vinhas em produção.
Para os produtores privados, Alberto Oliveira Pinto e Albano Seabra, desejamos igualmente os maiores sucessos, pois pelas provas dadas e comprovadas e igualmente com alguns prémios recebidos, são garantes de que Vila Nova e o seu vinho, irão continuar a ser falados pela qualidade como sempre foram conhecidos.

José Baptista da Silva

Nov2016

Comments are closed.

Categorias