A PÁSCOA EM VILA NOVA

by Jose Baptista | May 15th, 2017

Já diversas vezes sublinhámos nesta página, que Vila Nova cultiva e mantém um vigor cultural e social apreciável, que é pena não poder ser acompanhado pelo económico. Com efeito as inúmeras Associações ligadas à cultura e assuntos sociais e recreativos, promovem ao longo do ano eventos, e manifestações culturais públicas, que agradam à comunidade local, e aos forasteiros que nos visitam.
É nossa convicção que o facto de algumas Associações terem nos seus corpos directivos elementos comuns, tem ajudado a congregar vontades, para que algo aconteça. Ainda bem que assim é, porque as Associações continuam a desempenhar bem, os serviços para o qual foram criadas, com o carácter voluntarista habitual e quase sempre com o agrado geral.
Esse interesse pelo fazer e criar coisas novas ou fazer renascer outras deixadas caír em desuso, tem conseguido captar o interesse de pessoas que mesmo não pertencendo aos corpos sociais associativos, a eles se aliam e com eles colaboram séria e voluntariamente.
Este ano, fruto do bom entendimento existente entre as pessoas interessadas em manter alta essa dinâmica cultural na nossa terra, e com a anuência e colaboração do pároco, foi possível transformar a habitual procissão da Via Sacra de Sexta Feira Santa pelas ruas de Vila Nova, numa manifestação religiosa viva, já que os passos da Via Dolorosa de Cristo, a caminho do monte Calvário, foram interpretados e vividos pelos diversos personagens com muito realismo e rigor, contribuindo assim com a sua representação cénica, para uma maior aproximação interior de todos, ao sofrimento de Cristo no caminho para a sua Crucificação e Morte na Cruz, e posterior Ressurreição.
Foram momentos interpelativos à nossa fé, que tem nestes sinais e acontecimentos reais, a sua grande razão de ser. O filho de Deus, enquanto homem como nós, veio para reconciliar a Humanidade com o seu Criador. Para além da sua realidade bíblica, estas cerimónias assim vividas, mantêm presente uma realidade histórica que explica e revive a realidade autêntica, e isso numa sociedade cada vez mais laicista vem ajudar, a preservar os princípios e os valores, sobre os quais foi fundada a civilização greco-romana e cristã que é, queiramos ou não, aquela pela qual a Europa e o Ocidente se têm regido, e imposto como referência de liberdade, de solidariedade e de paz.

Abr2017

José Baptista da Silva

Comments are closed.

Categorias