OS FOGOS OS BOMBEIROS E AS POPULAÇÕES

by Joca | November 12th, 2017

Os dias 15 e 16 de Outubro deste ano, dificilmente ficarão esquecidos na memória dos vilanovenses e de todos os habitantes da zona centro do nosso país. Os concelhos de Gouveia, Seia e Oliveira do Hospital, por se situarem mais perto de nós e terem sido dos mais atingidos nestes dias catastróficos de fogos, tocaram mais fundo a mente e o coração de todos nós.

As condições meteorológicas adversas desses dias, tal que os ventos do furacão vindos do mar Atlântico, e certamente também alguma maldade humana, descoordenação e falta de meios da Proteção Civil e falta de limpeza em muitas matas, tornaram-se condições vitais para a catástrofe que nos atingiu.

No que à nossa terra diz respeito, ela passou por poucos prejuízos e sem vítimas humanas a lamentar muito por mérito dos nossos Bombeiros que foram incansáveis não só na defesa das vidas e bens dos vilanovenses, como estenderam a sua acção a todas as terras vizinhas, já que as doze viaturas de fogo estiveram em uso permanente no combate aos inúmeros incêndios que rodeavam a nossa terra, tal que no salvamento  e evacuação de diversas pessoas em perigo.

Se aos bombeiros se deve o maior empenho no combate aos incêndios, a ajuda e o igual empenho de muitos vilanovenses com destaque para as equipas de trabalho dos nossos construtores civis, que de forma solidária as deslocaram para coadjuvar o trabalho dos nossos bombeiros, foram duma mais valia extraordinária.

A ajuda muito humana e solidária de algumas famílias, que receberam em suas casas pessoas deslocadas de outras terras vizinhas, a quem o fogo consumiu as suas habitações, é outro pormenor que deve ser enaltecido e que demonstra que em Vila Nova a solidariedade, continua a fazer parte da forma de ser e de estar das nossas gentes.

Também o velho provérbio que diz que “a união faz a força”, continua a ter valor na nossa terra, já que sem “comandos de proteção civil” mas contando apenas com os nossos bombeiros e as nossas gentes, elas foram gigantes na defesa das pessoas e do seu património.

Fomos testemunha de elogios públicos ao trabalho dos nossos soldados da paz, sabiamente comandados pelo seu comandante Guilherme Mota. Quando quem comanda sabe o que faz e tem a confiança dos seus subordinados e dos populares que a ele se aliam, os resultados serão sempre positivos, embora nem sempre os desejados. No entanto quando humanamente se faz o que se deve, e por vezes se excede o que as forças físicas permitem como foi o caso para a maioria dos nossos bombeiros e de muitos populares, só lhes podemos manifestar os nossos agradecimentos e o respeito pela Causa que os anima.

Que este exemplo de servir não seja esquecido, e que dentro do possível quem nos ler e todos os amigos dos bombeiros, ajudem estes homens e a causa que os faz viver, que se enquadra no espírito solidário de Vida por Vida.

José Baptista da Silva

Nov.2017

Comments are closed.

Categorias