PROBLEMAS DA VELHICE

by Jose Baptista | November 12th, 2017

Uma pessoa de certa idade ē portadora de um acréscimo imenso de experiências. Se a mente não foi educada positivamente, os depósitos  conscientes e subconscientes formarão uma carga pesada e prejudicial.

A soma de fracassos, desilusões, ideais abandonados na poeira do tempo, sofrimentos e frustrações no amor, finanças em níveis alarmantes, desconsideração das pessoas aliadas ao peso do corpo combalido, fazem muita gente pensar na velhice como uma desgraça necessária.

Você é o que for hoje. S.Jerónimo um grande doutor da Igreja do século V dizia “Comece a ser agora o que será daqui por diante”. Qualquer que seja a sua idade, lembre-se que cada minuto é um milagre fantástico que merece ser vivido condignamente. Deixe o passado negativo para trás, porque se ficar sentado á beira do caminho, a chorar o leite derramado, não aproveitará o que ficou na  caneca. A idade fez de si uma pessoa lúcida. A vida ensinou-lhe muito, porque ela é a melhor escola. Aproveite o que aprendeu de bom pois é muito mais do que sabem os jovens e comece a viver o melhor da sua vida. Não cultive a solidão e viva bem consigo mesmo, pois está a viver no melhor dos mundos. O indivíduo que sofre de solidão é o que não gosta de si, e por isso é infeliz. A convivência com amigos e familiares especialmente os netos faz um  bem imenso ao idoso, tal que viajar, ou ter em casa um animal de estimação.

Mesmo que viva só, nunca cultive a ideia de que está abandonado pelos seus familiares, porque só existe abandono quando nós nos abandonamos a nós próprios. Você tem identidade própria, é dono dos seus pensamentos e da sua vontade, por isso viva a vida em plenitude sem pensar em nenhum grau de dependência.

Não cultive sentimentos negativos que o podem levar a pensar estar a ficar decadente. O desânimo acaba por nos combalir as forças físicas. Se o nosso cérebro e a nossa mente se mantiverem positivamente activos, continuam a responder plenamente ás nossas necessidades e aos nossos desafios. Medite, leia, passeie, ande a pé, conviva e interpele as pessoas que conhece e se vão cruzando no seu caminho.

Não cultive também a ideia de que não tem nada que fazer. Então as experiências da vida activa não lhe ensinaram nada? Quem durante a vida teve um trabalho criativo, não quererá refazê-lo agora devagar e sem pressa, mas duma forma artística? Será que quando trabalhava exaustivamente e com pressa para cumprir compromissos, em algumas situações não ficou com pena de elaborar melhor a obra que saia das suas mãos? Agora que tem tempo recrie o que outrora gostaria de ter feito melhor e pode refazer tudo agora. Lembre-se que nenhuma estrela do céu por mais antiga que seja deixa de brilhar. E você porque razão se há-de querer apagar?

Nesta idade o luto por vezes deixa-nos tristes e em sofrimento pela perda da nossa mulher ou do nosso marido. É normal que durante algum tempo esses sentimentos de vazio nos façam sofrer. Mas também aqui temos de conseguir forças para ultrapassar a perda. Quem partiu, já não vai poder voltar, e quem fica tem que viver. Quanto mais nos deixarmos abater pelo sofrimento, mais enfraquecemos as nossas defesas imunológicas que nos ajudam a resistir as doenças e aos vírus.

Em resumo: nunca deixe de gostar de si, porque senão, não conseguirá gostar de ninguém. Ame a vida e tudo o que ela contém de bom. Seja alegre, sorria, porque com a sua alegria prolonga a vida e retira tristeza aos que o rodeiam. Se for crente reze, ajude com conselhos da sua sábia experiência aqueles que reconhece precisarem deles. Seja positivo, tenha um coração sensível e viva feliz.

Resumo sobre o tema em título retirado do livro ” Cure-se – Você é o seu próprio remédio” Lauro Trevisan

José Baptista da Silva

Nov2017

Comments are closed.

Categorias