JOVEM CIENTISTA DISTINGUIDA

by Jose Baptista | April 11th, 2018

Foi com enorme satisfação e orgulho vilanovense que ao ler o Notícias de Gouveia, do passado dia 29 de Março, me dei conta de que uma talentosa jovem vilanovense, a Dra.Catarina Morais Seabra, investigadora do Centro de Neurociências e Biologia Celular, da Universidade de Coimbra, tinha sido distinguida pela União Europeia, com uma bolsa de estudo individual para um Estudo sobre o Autismo. Esta bolsa a que a Dra. Catarina concorreu, homenageia e relembra uma grande cientista Dra. Marie Curi, laureada com dois Prémios Nobel, pelos seus trabalhos de investigação em radioactividade.
Individualmente é uma honra e um reconhecimento pelo seu empenhamento na área da investigação das Ciências Biomédicas e Moleculares, e certamente também pelo seu já brilhante Curriculum Académico, pois que estas Bolsas de Estudo, apenas serão atribuídas a quem logo á partida ofereça sérias garantias, de que o investimento monetário, vai ter o retorno merecido na área científica para que foi criado.
Os nossos parabéns para a premiada, são extensivos a sua mãe, a professora Fátima Morais Seabra, e a toda a sua família. O pai o António Seabra (“Tó Simpina”), certamente que no lugar que Deus lhe destinou, também se sentirá feliz, por ter contribuído com o seu trabalho e o seu exemplo de vida, para a distinção e o reconhecimento académico, que a sua filha acaba de conquistar, a que certamente outros se lhes irão juntar, já que a semente quando cai em boa terra só pode gerar bons frutos.
É reconfortante para nós, os mais velhos e amigos da nossa terra, que jovens vilanovenses interessados e estudiosos, não desanimem e acreditam em si é nas suas potencialidades criativas, e por vezes enfrentando sacrifícios e dificuldades, não desistem, para depois através do estudo nas Academias, encontrarem a forma de melhor realizarem os seus sonhos. Quando o esforço individual se conjuga com a vontade, os objectivos serão sempre alcançáveis. Nada nos é dado.Tudo tem que ser conseguido. O sucesso está pois na dedicação e no empenho que carrearmos para a concretização dos nossos objectivos.
Que o exemplo desta jovem investigadora e cientista, contagie outros jovens igualmente dotados, que por vezes por falta de mais empenho, ficam em cursos ou áreas do saber onde não estão por gosto, mas porque ” foi o possível, o que se conseguiu arranjar”. Há um velho ditado que nós já ouvíamos na nossa infância que dizia “quem corre por gosto não cansa”. Ora aqui está numa frase simples a resposta para quem quer ter sucesso na vida, sejam eles estudiosos ou simples operários. A satisfação pessoal quando nos acompanha no trabalho, não só nos torna trabalhadores mais competentes e criativos, como nos ajuda na felicidade individual do dia a dia.

José Baptista da Silva
Abr2018

         

Comments are closed.

Categorias