Noticias e Eventos

by Jose Baptista | January 21st, 2019

Apesar do atraso, cá estou para informar mais algumas notícias sobre Vila Nova.

Assim, o Natal foi celebrado com um programa variado, promovido pela Junta da Freguesia, a que se associaram algumas entidades, como o Centro Paroquial Nossa Senhora da Assunção, que realizou um mercado de Natal e uma Gala Solidária, (esta) no Centro Cultural da nossa terra, animada por artistas convidados (solidários) e que durante toda a sua actuação puseram os assistentes bem dispostos.
A Banda Filarmónica presenteou-nos no Centro Cultural, com um magnífico concerto musical de Natal, onde foi bonito de ver para lá da qualidade da música, a imensa juventude que a compõe. Valeu a pena a aposta na escola de música, já que alguns destes jovens, fruto da sua iniciação musical na Banda, seguiram o Conservatório, e da música fizeram profissão. Um deles encontra-se a leccionar num Colégio em Luanda, Angola, e outros estarão espalhados por outros locais de ensino.
A nossa avenida esteve igualmente emoldurada de luz e cor, e não faltou a fogueira, onde depois da missa do galo, alguns mais resistentes ao frio se divertiram e animaram com comes e bebes. Presépios (muitos), mensagens de natal espalhadas por toda a avenida, emolduraram um tempo diferente, a que chamamos Natal. O Cantar das Janeiras no dia de Reis, colocou termo a este tempo diferente, em que a saudade e a solidariedade andam sempre de mãos dadas.

Em Vila Nova, teve lugar o encerramento no dia 14 de Dezembro, das VIII Jornadas de Enoturismo, organizadas por várias Comissões ligadas ás Regiões Demarcadas de Vinho, de sectores do turismo e da Comissão de Coordenação e Desenvolvimento da Região Centro (CCDRC).
Este reconhecimento pela nossa terra, deve ser realçado, pois que daqui saem dos melhores néctares do Dão, e essa presença só vem demonstrar, que a gestão da vinha desde que profissionalizada e tenha dimensão adequada, é rentável, porque a qualidade do vinho assim o justifica.
O queijo da serra, outro produto de excelência desta nossa região, acompanhará bem o vinho quer na qualidade, quer na rentabilidade. Acontece porém que quer uma, quer outra, estas actividades têm cada vez menos adeptos.

Um acontecimento que veio enlutar uma família e muitos amigos, foi a morte do “Joca”. O Jorge Quintela Oliveira, era conhecido desde miúdo por Joca, ou Micas, e a sua morte embora esperada, causou tristeza e comoção em toda a população vilanovense (e a imensidão de gente que participou no seu funeral foi disso prova concreta). O Joca fabricou pão, jogou á bola, foi funcionário da nossa Escola Secundária, foi um homem sempre presente no meio associativo cultural da nossa terra, e a sua ainda “pouca” idade para morrer, deixou familiares e amigos tristes e desconsolados, pela injustiça desta morte, dita ainda sem idade. Á família, aqui deixo os meus sentidos pêsames, já que devido á ausência, o não pude fazer em presença. Que descanse em paz.

José Baptista da Silva
Jan.2019

Comments are closed.

Categorias